Centenas de peixes são encontrados mortos em rio de MT, diz Sema

uberlan bruno Bruno | 10:00 | 0 comentários

Compartilhe »»

Desenvolvido por HS Dicas

620

Centenas de peixes foram encontrados mortos nesta sexta-feira (18) boiando no Rio Vermelho na cidade de Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá. Uma equipe técnica da Secretaria de Meio Ambiente (Sema) já começou a investigar a possível causa da poluição que teria matado os peixes.

Moradores e pescadores relataram a Sema que uma porção de água escura de um bueiro teria sido despejada no Rio Vermelho. Eles disseram que desde o início desta madrugada a água escura começou a sair de um bueiro e cair na água. Ainda segundo os ribeirinhos, os peixes começaram a boiar na superfície da água e o cheiro teria ficado insuportável.
Conforme informações repassadas pela Sema, uma equipe já coletou a água escura para fazer uma análise e descobrir a causa da degradação ambiental. “A equipe coletou o material e está fazendo a análise e tomar as medidas cabíveis”, afirmou Silvestre José de Arruda, diretor da Sema de Rondonópolis.

Outra caso de poluição

A Sema multou na última quinta-feira (10) a Companhia de Saneamento de Rondonópolis em R$ 25 milhões depois que um engenheiro ambiental foi preso por conta do despejo irregular de esgoto sem tratamento no Rio Vermelho, que abastece a cidade. Depois da denúncia de que o esgoto estava sendo jogado no Rio Vermelho, técnicos estiveram no local e coletaram amostras de quatro pontos diferentes do rio para saber se houve alguma contaminação.

Ainda de acordo com a Sema, o relatório técnico deve ser encaminhado para Polícia Civil e para o Ministério Público. Também foi solicitado que a Defesa Civil faça um estudo de impacto social na região, em razão dos possíveis problemas à comunidade ribeirinha local e à população. Na ocasião, a Sanear se posicionou por meio de nota. A companhia de saneamento afirmou que presta um serviço de qualidade para a população e que "nenhuma ação realizada pelo Sanear é feita de forma aleatória".

Fonte: MT Agora - G1

Category: ,

0 comentários